É tão fácil?

“É fácil para uma pessoa sem deficiência navegar na Internet. Apontar o rato, ver o ecrã, ignorar (ou ler) anúncios, passar os olhos pelos títulos, dar uma vista de olhos numa imagem interessante e por fim fixar os olhos na informação que lhe interessa.

Tudo certo, se não for velho, não tiver artrites, nem Parkinson ou esclerose múltipla, portanto, se tiver o controlo necessário para apontar o rato. É ‘canja’ ouvir aquela reportagem, se não for surdo, e ‘claro como a água’ encontrar o conteúdo principal se a sua visão estiver suficientemente boa para ler. É fácil ignorar os anúncios em Flash, se não tiver défice de atenção, apoplexia fotossensível ou perigo de convulsão.

Mas… e sobre as pessoas com deficiência? Como é que podem sequer desejar aceder à Web, a qual foi desenhada para pessoas que podem ver e usar o rato? (…)

(Lawson, 2006)
Trad. Norberto Sousa