Diretrizes de acessibilidade para o conteúdo Web

As Web Content Accessibility Guidelines (WCAG) 2.0 definem como tornar o conteúdo web mais acessível a pessoas com deficiência. A acessibilidade envolve uma ampla gama de deficiências, incluindo discurso, visual, auditivo, físico, cognitivo, linguagem, aprendizagem e deficiências neurológicas. Embora estas orientações abranjam uma vasta diversidade de questões, não conseguem responder às necessidades de pessoas com todos os tipos, graus e combinações de incapacidades. Estas orientações também fazem o conteúdo web mais utilizável por indivíduos mais velhos com a mudança de habilidades devido ao envelhecimento e muitas vezes melhoram a usabilidade para todos os utilizadores.

As WCAG 2.0 foram desenvolvidas através de um processo de colaboração entre o W3C e indivíduos e organizações de todo o mundo, com o objetivo de fornecer um padrão compartilhado para a acessibilidade do conteúdo da Web que atende às necessidades de indivíduos, organizações e governos internacionalmente. As WCAG 2.0 baseiam-se nas WCAG 1.0 e são projetadas para serem aplicadas, em linhas gerais, a diferentes tecnologias Web, agora e no futuro e para serem testáveis com uma combinação de testes automáticos e avaliação humana.

A acessibilidade da Web depende não só de conteúdo acessível, mas também de navegadores acessíveis e outros agentes de utilizador. As ferramentas de autor também têm um papel importante na acessibilidade da Web. Por isso o W3C desenvolveu diretrizes específicas para os agentes de utilizador (UAAG) e para as ferramentas de Autor (ATAG).

As WCAG, quer na 1ª versão, em 1999, quer na 2ª versão, em 2008, apresentam 4 princípios fundamentais:

  • 1: Percetível - toda a informação e interface deve ser legível e percebida por todos;
  • 2: Operável - a navegação e o acesso a todas as funcionalidades deve ser garantida, independentemente do perfil do utilizador e dos dispositivos de navegação que utiliza;
  • 3: Compreensível - toda a informação deve ser compreendida por todos e prever tolerância ao erro;
  • 4: Robusto - deve garantir a interoperabilidade entre sistemas e compatibilidade tecnnológica.

 

Descubra os detalhes das diretrizes para o conteúdo Web na versão autorizada da tradução das WCAG 2.0.